Saltos mortais

Foi uma festa bonita, sem dúvida. De bom gosto, emocionante em alguns momentos, visualmente deslumbrante em outros, enfática nas horas certas. Deixou sua mensagem. Trouxe de volta uma Gisele resplandescente. O Hino Nacional delicadamente interpretado por Paulinho e um quarteto de cordas. A coreografia sem limites da Débora Colker. Até o 14 Bis voou. Gostei.

Mas como bem dizia o filósofo Neném Prancha, “o importante é o principal, o resto é secundário”, o maravilhoso show de abertura dos jogos do Rio foi apenas isso, uma festa, o aperitivo de um evento com enorme alcance e importância. Acreditar que nossa vida mudou depois do espetáculo da sexta-feira, soa como o antigo sonho hippie de que o mundo, após o Festival de Woodstock, não seria mais o mesmo…

Os atletas, principais astros e razão de ser dos jogos, já estão aí, mostrando para que vieram. Medalhas estão saindo, recordes começam a ser derrubados. Alguns quebraram a perna, outros fraturaram costelas e até mesmo a coluna cervical. Estão dando, literalmente, o sangue. Até agora, dia 8, o Brasil só conseguiu uma isolada medalha de prata. É pouco, eu sei, afinal estamos competindo em casa mas, que bom, ainda tem muita disputa pela frente.

A foto que ilustra esse texto, a gigantesca instalação do artista francês JR em cima de um edifício no Morro da Viúva, no bairro do Flamengo, mostrando um atleta saltando um obstáculo, talvez seja a mais representativa das dificuldades que os cariocas enfrentam no seu dia a dia, antes, durante e, é claro, depois dos jogos. Afinal, em setembro, será a nossa vez de saltar diariamente sobre os obstáculos de sempre. E, principalmente, curar a ressaca e pagar a conta da festa.

Texto e foto: Carlos Emerson Jr.

4 comentários em “Saltos mortais

  1. Nunca fui contra a realização da copa e das olímpiadas.
    Minha reclamação sempre foi: se conseguem organizar e conseguem realizar tais eventos, o que é que falta, para eles aplicarem o modelo administrativo, gestão de recursos e qualidade das obras para o país, sempre, não apenas em eventos?

    O que fica para nós, a certeza, de que, os administradores públicos não faz obras de saneamentos, saúde, educação, infraestrutura, por que não querem!

    Curtido por 1 pessoa

    1. É isso mesmo, meu caro amigo. Obra de saneamento, por exemplo, não aparece. Agora fazer praças, avenidas, parquinhos, dá um ibope danado. Nós também somos responsáveis quando fechamos os olhos para as barbaridades que nossas “autoridades” constituidas cometem. Um abração.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Vi uma entrevista do Prefeito num dos canais Sport Tv… Foi cercado por 4 urubus (pretensos jornalistas da Globo)… Paes mais parecia falar com surdos…

    Bem, ele fez um balanço do antes e até o momento da Olimpíada… Ela já está toda paga! A Prefeitura entrou com a maior parte do dinheiro entre as três esferas: Municipal, Estadual, Federal. O valor gasto foi dez vezes menos de tudo que ele investiu em obras na Cidade. Ele saia cortando os luxos que o COI exigia. A maior parte das estruturas já tem destino certo, como por exemplo: uma das arenas vai virar Escola.
    Vale a pena ver a entrevista! Foi ontem à noite!

    E mesmo que assim não fosse, eu sempre sou favorável a eventos como esse! Porque penso no incentivo ao esporte para as crianças e adolescentes:
    https://cadeiranteemprimeirasviagens.wordpress.com/2016/08/05/muito-bem-vindos-jogos-olimpicos-2016-valeu-presidentes-lula-e-dilma-pelo-presente/

    Que venham muito mais!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s