Agonia

Um vazio enorme dentro do peito. Sentimento de perda, tristeza, muita tristeza. Lembrou a velha canção: “se fosse resolver, iria te dizer, foi minha agonia”. O tempo perdido, a paixão que esqueceu, o risco que não correu, a amizade que perdeu, a aventura que não viveu. Tudo, completamente tudo, visto para trás, parecia um retumbante grande nada, uma completa inutilidade, um enorme fracasso.

Sentia-se cansado, solitário e doente. Mas o que doia mais era a indiferença, o desinteresse total, a falta de vontade de continuar vivo. Outra vez cantarolou a música: “e aqui no coração, eu sei que vou morrer, um pouco a cada dia”… Respirou fundo, foi até a janela e ficou admirando um grupo fantasiado deslizando para o desfile de algum bloco. Em um átimo desejou estar com eles, cair na folia.

Caiu em si quando lembrou que morava de frente para um estacionamento… Deu um sorriso, fechou a cortina, ligou a televisão, abriu uma cerveja, acendeu um cigarro e, como sempre, dormiu sentado no sofá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s