Férias no Debossan

A Voz da Serra

Éramos três casais, todos com filhos pequenos. A década de 80 estava terminando, a inflação comendo solta e, nem me lembro mais porque, sugeri alugarmos uma casa em Nova Friburgo para passar o carnaval. De uma tacada só fugiríamos do calor do Rio, dos chatíssimos bailinhos infantis e as crianças aprenderiam como é que se mora em uma casa de verdade, com muito verde.

O imóvel era bonito, grande e mobiliado com funcionalidade e simplicidade. Tinha uma área externa fantástica, toda gramada além de um baita chuveirão, ao lado de uma árvore frondosa. O único senão é que ficava lá no simpático bairro do Debossan, bem longe de tudo e todos.

Botar a casa para funcionar foi moleza, bastou ligar o registro da luz, checar a caixa d’água, acionar a bomba, fazer uma faxina e abastecer a dispensa. As crianças adorando, tudo era novo, diferente e aterrorizador, como os insetos voadores ou rastejantes que entravam à noitinha, provocando gritos de pânico de todos.

Ô povo de apartamento!

*****

Carioca quando viaja é um pândego. Com crianças então, sai de perto: roupinhas, roupões, fraldas, remédios, brinquedos, leite em pó, panelas, churrasqueiras, espetos, fósforos, carvão, comida, água, lençóis, fronhas, travesseiros, sogras, cachorros e papagaios são itens imprescindíveis em qualquer passeio mais longo.

Geralmente esquecemos o essencial, no nosso caso, casacos. Ah, mas quem sente frio no carnaval, em pleno mês de fevereiro? Ô pergunta besta, os moradores do Debossan, é claro! Um belo dia, ou melhor, numa bela noite, todo mundo se preparando para dormir, entra um nevoeiro denso, gelado como uma alma penada. Alguém resolveu conferir o termômetro do lado de fora da casa e, bem espírito de porco, berrou: – gente, está fazendo onze graus!

Pronto, imediatamente todo mundo começou a tremer de frio e o pânico ameaçou tomar conta da situação. Mas vê lá se íamos entregar os pontos sem luta? Tiramos os cobertores dos armários, vestimos a criançada com todas as roupas disponíveis e tiramos da cabeça a ideia de acender a lareira, para não incendiar a casa.

Aprendemos na hora que a serra não é praia…

*****

Mas era um vidão mesmo. Eu ficava o dia inteiro deitado numa cadeira de praia, no meio do jardim, torrando irresponsavelmente no sol do
verão, até que na terça-feira gorda acabou a cerveja. E agora?

Pegamos o carro e fomos até Mury, onde demos de cara com o único mercado fechado. Puxa vida, carnaval sem cerveja? Vira daqui, pergunta ali, acabamos achando um pequeno depósito que só dispunha da cerveja de Mury, para nós uma solene desconhecida.

Compramos logo umas três caixas e voltamos. Na altura do antigo posto da Polícia Rodoviária fomos parados: iam nos multar porque não estávamos usando os cintos de segurança, que antigamente somente eram obrigatórios em rodovias.

Imediatamente mostramos a placa “Perímetro Urbano”, bem ao lado do posto, mas o fiscal não quis nem saber e ameaçou multar e apreender o veículo. Meu cunhado, furioso, tirou a chave da ignição, abriu o porta-malas e tirou as caixas de cerveja, avisando que deixava o carro, mas as bebidas iam conosco!

Aí bateu uma comoção geral. A autoridade pediu desculpas, foi mal, estamos aqui de plantão desde ontem, blá, blá, blá. Educadamente devolveu a documentação e, na maior cara de pau, perguntou se nós não nos importaríamos de “colaborar” com
uma caixa de cerveja para ajudar a passar o tempo, afinal era carnaval.

Deixamos a caixa, que remédio, ainda íamos ficar até o fim do mês e o que menos queríamos era esse tipo de confusão. Fomos festivamente liberados e rumamos lépidos para casa, sem saber que a tal da cerveja de Mury era muito ruim…

4 comentários em “Férias no Debossan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s