Prá não dizer que não falei de flores

Um dos grupos mais interessantes que frequento no Facebook – a rede social mais popular aqui e agora – é o “Fotografando Nova Friburgo”, cujo objetivo é “procurar novas fotos e retratos de nossa cidade”. Qualquer usuário do Face que curta ou tenha algum um tipo de câmera fotográfica pode participar e o endereço é o https://www.facebook.com/groups/FotografandoNovaFriburgo/.

O mais divertido, no entanto, são as gincanas. Durante uma semana é sugerido um tema para fotografar. Podem ser personalidades, calçadas, montanhas, animais, ruas, insetos, aves e por aí vai. O vencedor, eleito por votação direta de todos os participantes, escolhe o assunto da semana seguinte. Uma ideia simples que vem produzindo boas fotos e ótimas amizades.

Um dos temas que fez mais sucesso foram as flores e não por acaso, afinal Nova Friburgo é pródiga nesse setor. Basta andar pelas ruas da cidade, em qualquer bairro e reparar nos quintais, jardins, praças e até mesmo terrenos baldios. Flores de todos os tipos nos aguardam em cada esquina, sem nenhum exagero, é claro. Aliás, para quem não sabe, o município serrano é o maior produtor do Estado do Rio e o segundo do país, principalmente o cultivo de rosas, cravos, crisântemos e bromélias.

O condomínio onde moro é um bom exemplo mas, já que recomendo uma caminhada pelos jardins do Nova Friburgo Country Club, uma área de 80 mil metros quadrados projetados pelo paisagista francês Auguste François Marie Glaziou, o mesmo que idealizou a Quinta da Boa Vista, no Rio. Ali, entre diversos tipos de flores, árvores, riachos e lagos, talvez esteja um dos mais belos parques do Brasil.

Sou um completo analfabeto quando o assunto são flores mas sei muito bem que como “modelos” para fotos, são imbatíveis! Flores são tão bonitas que nem precisam fazer pose. Nunca reclamam da nossa demora para “acertar” a câmera, não se mexem e algumas até nos presenteiam com um perfume gostoso e elegante. Decididamente, fotografar flores é Zen e se for em Nova Friburgo é o próprio Nirvana!

*****

Uma dica para os turistas: o outono é, possivelmente, a melhor época para sair por aí com uma máquina fotográfica nos ombros, clicando Nova Friburgo pra cima e pra baixo. O céu muito azul contrastando com a mata verde, a luminosidade e o tempo frio na medida certa são um convite para tirar a câmera fotográfica da gaveta e subir a serra.

O grande pintor francês Matisse, afirmava que “sempre há flores para aqueles que querem vê-las”. No caso de Nova Friburgo, felizmente elas estão por todos os lados e até mesmo quem não tem o menor jeito para cultivá-las, como esse cronista que vos escreve, pode registrar seu curto momento de beleza com uma câmera fotográfica qualquer. Basta tentar e se surpreender com o resultado.

Afinal, como os poetas cantam, flores não foram feitas apenas para reprodução, elas também emocionam.

2 comentários em “Prá não dizer que não falei de flores

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.