De olho nos prédios

A Voz da Serra, 2/2/2012

O trágico desabamento de três edifícios no centro da cidade do Rio de Janeiro imediatamente remete à pergunta: como estarão os prédios de Nova Friburgo? A dúvida é pertinente e possivelmente está sendo feita em todas as cidades brasileiras. A hipótese mais provável para explicar o acidente teria sido uma obra irregular e, para variar, a eterna falta de fiscalização.

Pouquíssimas prefeituras tem estrutura ou até mesmo legislação sobre o assunto. Curitiba e Recife, se não me engano, estão entre elas e efetuam vistorias periodicamente ou em casos de denúncias. Mas apenas a autuação do condomínio não é suficiente: a fiscalização tem que continuar até que todas as obras exigidas sejam realizadas.

Não tenho a menor noção do estado de conservação dos velhos prédios friburguenses. Na Praça Getúlio Vargas, por exemplo, é possível observar uma série de imóveis, alguns até mesmo ocupados por órgãos oficiais, em péssimo estado, pelo menos externamente. Será que passariam em uma vistoria? Seus para-raios e equipamentos para combate de incêndios, como extintores e mangueiras, estão em boas condições? Moradores e funcionários tem noção do seu uso?

As instalações gás são seguras? E a rede elétrica? O número de aparelhos de ar condicionado tem aumentado muito em Nova Friburgo: será que as instalações existentes suportam esse aumento de carga? Vazamentos e infiltrações de água, que acabam com paredes e pisos, já foram sanados? As vistorias dos elevadores estão em dia? Escadas de emergência sinalizadas e livres? O número de itens a serem verificados é enorme e dizem respeito à nossa segurança.

As reformas ou obras realizadas foram licenciadas na Prefeitura? Os projetos foram elaborados por profissionais do setor, devidamente registrados no CREA? Tudo isso pode parecer um exagero mas, diante da dimensão do aparente descaso que resultou na morte de 17 pessoas e a queda dos prédios no Rio, completamente justificável e necessário.

Tragédias são sempre deploráveis mas temos a obrigação de tirar algum tipo de lição. Tal como nos acidentes aéreos, saber o que saiu errado evita sua repetição. Agir preventivamente, fiscalizando e corrigindo as irregularidades encontradas, além de informar e educar proprietários e usuários é a única maneira de impedir a perda de vidas e a destruição de bens.

É bom deixar claro que prédios velhos não são sinônimos de risco e com boa manutenção e respeito às suas características, ainda vão durar muito. No entanto, não convém ficar sentado, esperando a ajuda cair do céu. Se você tem alguma dúvida quanto a segurança do seu imóvel, entre imediatamente em contato com a Defesa Civil.

Sua vida vale muito mais!

Um comentário em “De olho nos prédios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s